sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

O que o Natal te comunica?

Para cada pessoa ou ente o natal significa ou comunica uma coisa.

O calendário vê o natal apenas como mais uma data de feriado mundial.

No comércio de bens duráveis ou não, o natal é uma ótima data mercantilizadora, que tem poder de aquecer as vendas e torrar os abonos que a população recebe, e dos que não recebem, torrar a poupança, que prolongada e arduamente conseguiram ajuntar.

Para o proletariado, o natal é visto como uma forma de tornar a diferença social menos sufocante, os serviçais recebem o décimo terceiro e alguns até o décimo quarto salário, e geralmente usam, ou para pagar as pendengas finaceiras do ano velho, ou então, para darem entrada na compra de alguma outra dívida que se arrastará pelo ano novo.

Para o governo, é tempo de limpar a casa dos boatos e falatórios em torno das propinas, corrupções, mensalões, mensalinhos, etc,  o povo motivado pelo sentimento natalino é entorpecido de uma profunda aminésia, que os leva, entre uma "golada e outra", a ignorar todas as coisas, mais uma vez.

Para os corais e orquetras, natal é sinônimo de cantatas, musicais, ensaios, tudo no escopo de falar como o  planeta foi visitado!

As crianças veem o natal como ajuntamento da família, presentes, brinquedos, comidas, e a chance de ficarem acordadas até de madrugada, sem ninguém ás mandando pra cama!

Mas será que o natal deve comunicar exatamente isso? Não.

O natal deve nos comunicar as seguintes coisas:

1° - O Homem é o maior problema da humanidade

G.K Chesterton, no livro Ortodoxia, conta-nos a história de um homem, que entendia que o maior problema da humanidade era o homem.

Diz ele: Certo jornal de grande circulação local, lançou um concurso: "A melhor resposta para a pergunta leva um prêmio". A pergunta é - Qual o maior problema da humanidade?

Muitas cartas trazendo frases-respostas esmeradamente elaboradas, chegavam, eram lidas e uma pré seleção era feita. Até que leram a melhor de todas as respostas. Não perderam tempo e publicaram-na, na primeira página do jornal, anexada ao nome do ganhador, a resposta foi a seguinte:

- Eu.
G.K. Chesterton

O formulador da frase estava correto, pois o maior problema da humanidade é o homem. Jesus veio, ou seja, houve natal, para consertar o erro feito pelo homem, erro esse que desgraçou a humanidade e a vida na terra, se o homem fosse a solução para o universo, estaria descartado o Cristo.

2° - O Homem é hipossuficiente

Essa expressão é do ramo do direito, mas também é polissêmica e pode descrever o que é o homem. Além de ser o problema da humanidade, o homem é incapaz de solucionar os problemas gerados por ele, ou seja, ele é um gerador de males e não tem condições infímas de salvar-se destes males.

Por que Cristo veio? Para surpir a carência que a situação miserável do homem lhe proporcionou, Cristo veio fazer, aquilo que nós, meros "vermezinhos", não conseguimos fazer.

3° - Apesar de sua miserabilidade, o Homem é o alvo do afeto de Deus

O homem é o problema do planeta terra, é incapaz de solucionar os males por ele gerados, mas apesar de tudo isso, o homem é o alvo mór do amor de Deus, e nisso consiste a maior mensagem que o natal pode nos comunicar: "Nós somos amados por Deus".

As vezes nós mesmos, quando conscientes do nosso estado de deterioração, deixamos de nos amar.

Mas Deus não, ele continua com sua aljada de graça cheia e seu arco pronto a nos atacar com seu amor. è como disse William Hendriksen:

"Ás vezes enchemos o nosso vale de pecado e nos afogamos nele, mas Deus por meio de Cristo nos leva ao cume das suas montanhas de graça".

Saíba que é exatamente isso o que o natal quer e deve nos comunicar: "Você, Nós, somos alvos do amor de Deus em Cristo.

"Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores."  Rm 5:8


Um ótimo natal pra você e sua família!!!

domingo, 12 de dezembro de 2010

Ser Humano Quadrado

Tem pessoas que conseguem se relacionar com todos e quaisquer grupos sociais, sabem entrar e sair, respeitando e sendo respeitadas.

Estas se envolvem em menos conflitos, não é que não se envolvam em nenhum conflito, porque seria ilusão pensar que dá pra viver a vida sem nenhum pleito, mas elas se envolvem menos em intrigas e picuínhas... Na verdade, talvez, até tenham mais conflitos que outros, no entanto, engolem a bomba, esta explode interiormente, assimílam o golpe, e dão continuidade a vida.

São verdadeiras metamorfoses ambulantes, como dizem.

Geralmente são amadas, estão sempre bem acompanhadas, amam facilmente, mas logo esquecem e passam o coração pra outros....

O problema é que se não tomarem cuidado, na maior parte dos casos não tomam, terão suas personalidades ou aniquiladas ou adúlteradas, de forma que fiquem desfiguradas, ou seja, pertencem a todos os grupos, logo, podem não pertencerem a nenhum.

Agora, existem também aquelas que são quadradas. Estas, tem posições bem definidas, são segregárias, sectárias, na maior parte das vezes, extremamente legalistas ou libertinas, verdadeiros a-morais, falam e fazem o que pensam, quando pensam, na gíria, fazem tudo o que os outros mandam, uma vez que seja exatamente o que elas desejam...

São as mais livres, mas são de poucos ou nenhum amigo, não frequentam todos os ambientes e ás vezes tornam-se seres intragáveis, bestiais, inflexiveis, broquéis, sem resiliencia alguma, e também são caracterizados pelo abandono afetivo e pela irretratabilidade...

Em qual grupo você se encontra?

No dos politicamente corretos, ou no grupo dos divergêntes e contendeiros?

Não importa, todas estas pessoas, revelam a natureza depravada e putrefada dos homens, todas precisam de Jesus Cristo, aquele que é poderoso para nos livrar do inferno, dos demônios, dos perigos terrenos e sobretudo, é poderoso para nos livrar de nós mesmos, da nossa própria nocividade...

Talvez você me diga, eu me enquandro no grupo que é amado, ou talvez no grupo dos irretratáveis, saíba, independentemente você precisa do sangue remidor, purificador e transformador de Cristo!!!


Boa noite...

Abraços!!!!!!!!

sábado, 4 de dezembro de 2010

O que é depressão!

Depressão é uma doença psicopatológica, como enfermidade, mas como conceito, depressão é viver as dores do dia a dia...

Pelo lado da psiquiatria, todos têm um pouco da doença da depressão, em alguns ela se manifesta se tornando uma enfermidade psicossomática, em outros ela pode nunca se manifestar;

Pelo lado do conceito "depressão" em todos sem exceção se manifesta, daí minha pergunta, quando a organização mundial da saúde diz que este é o século da depressão ou que a doença do século é a depressão, estão falando da depressão como doença, ou da depressão como conceito?

Essa resposta eu não tenho, mas queria aqui considerar algumas coisas com relação a depressão:

1º - A depressão é um mal do nosso tempo

Alguns dizem que os cristãos protestantes não devem ter ou não podem ter depressão, isso é uma grande ignorância, porque os cristãos sempre sofreram dos males que marcaram a sua época, quando a Europa foi varrida pela "febre bubônica" no século 18, muitos cristãos piedosos morreram da enfermidade, quando o "império ditador nazista", na década de 40 assolou o mundo, inúmeros e incontáveis cristãos morreram nos campos de concentração, quando os grandes impérios, (Babilônico, Assírio, Egípcio, Grego e Romano) se instalaram sobre a terra, eles devastaram exércitos, casas, famílias, templos, culturas e idiomas, e isso ocorreu com o povo de Deus Israel muitas vezes, logo, não podemos afirmar que a depressão não alcançara os cristãos, nem dizer que o fato de ser crente vai isentar alguém disso, porque a depressão é um mal do nosso tempo, tanto quanto a violência, a crueldade e a frieza afetiva entre os homens...


2º - A depressão pode sim levar indivíduos a morte

Tanto a depressão enfermidade, quanto a depressão conceito podem levar os que são acometidos por elas a morte, estes dias houve alguns casos de explosão das tensões, um homem dirigiu propositalmente na contra mão na rodovia Castelo Branco, e bateu contra um caminhão em alta velocidade, em outro caso uma senhora dirigiu na contra mão em uma estrada de São Paulo, pessoas atordoadas pelo estresse do dia a dia e pelas depressões, vão rumo a morte todos os dias, se suicidando, através de meios mais diversos, desde auto-enforcamentos até o consumo desenfreado de drogas podendo ser legais ou ilegais...

3º - A depressão acabar com a vida mesmo em vida.

Quem se deixa vencer pela depressão, seja qual for, ainda que não chegue a morte no seu sentido claro, morre estando vivo, a depressão pode matar sonhos, aniquilar projeto, desanimar corações e interromper futuros gloriosos, destruir casamentos e desabar com famílias inteiras, talvez a morte no sentido direto não chegue, mas se a depressão não for vencida, ela pode produzir seres vivos mortos ou mortos vivos...


4º - A depressão pode ser vencida

Ao contrário do que pregam alguns a depressão pode ser vencida, não apenas controlada, mas vencida e extirpada, talvez o remédio que vou apresentar pra você aqui, não seja exatamente o que você está acostumado a ver, mas por favor leve em consideração, muitas pessoas venceram a depressão se utilizando destes remédios, você pode ser um destes, basta tomar algumas atitudes, vejamos:

5º - Confie firmemente em Deus

Eu sei que é difícil desenvolver fé nestas horas, mas é possível não perder a esperança e a confiança que Deus irá te ajudar a sair desta situação.

6º -  Viva a vida, entendendo que Deus tem seu futuro nas mãos Dele

Não viva a sua vida, resumindo sua existência apenas a você, mas entenda que Deus está pronto a estar com você e a cuidar de você, ainda que as situações perderam o controle pra voc~e, elas continuam no controle de Deus...

7º - Não se encha de auto comiserações

Alguns médicos dizem que um paciente quando recebe a notícia que possui uma doenças em estado terminal, ele tende a passar por ao menos quatro fases: incredulidade, onde ele não acredita que aquilo aconteceu com ele; conscientização, onde ele toma ciência de que é uma verdade, pois ele vê os sintomas e as marcas da doença; desespero, nesta fase as pessoas costumam, fazer tudo que dizem a ela que vai resultar na cura, ai ela vai a cultos, vai ao candomblé, as mesas de espiritismo, entre outros lugares, na busca por cura; aceitação, nesta fase o paciente aceita a doença e as chances dele sobreviver caem para apenas 30%...

Não aceite a depressão ficando se destruindo, esforce-se para mudar e sair desta situação...

8º - Rodei-se de amigos e entes queridos

Não fique só, não fique isolado, mesmo que este seja um dos sintomas da doença, lute contra isso e ajunte-se a pessoas, pois a caminhada da vida se torna muito mais agradável quando feita a dois, as dores da vida costumam ser aliviadas quando temos alguém com quem compartilhá-las...

9º - E entenda que ainda você tem muito que fazer

A gente costuma resumir a nossa vida aquilo que fizemos, mas não avaliamos a vida a partir do que temos para fazer, você ainda tem muito a produzir, você ainda tem sonhos a realizar, você ainda tem objetivo a cumprir, você ainda tem multidões a conquistar, se você não vê meios de isso acontecer? Lembre-se, Deus está disposto a tratar de você, para que sua vida e a vida de outros reflitam a glória de Deus, manifesta em Cristo!


Escondidos na Graça!
Abraços!!!

Sentimentos e Pensamentos Errôneos, em relação a Igreja brasileira - I

O numero de cristãos evangélicos no Brasil, cresce á cada dia, é uma massificação sem controle das linhas do fronte no campo de batalha da fé. Todos os dias surgem novos crentes, novas igrejas, novos cultos e novos modelos de liturgias, a fim de acrescer á já numerosa fileira dos – ditos - eleitos.


O IBGE lançou uma pesquisa recentemente, dando número dos evangélicos no nosso país, já passamos da casa dos cinquenta milhões (50.000.000), ou seja, quase 25% do nosso povo. Todos os anos, abrem, dados dessa mesma pesquisa, no território nacional, mais de quinhentas (500) igrejas, somos maiores que muitas torcidas organizadas, maiores que muitos grupos sociais, somos maiores que a população do estado mais populoso do Brasil, somos mais numerosos que os habitantes de muitos países da Europa.

Certo pastor, que ouvi estes dias, disse que nós os evangélicos brasileiros, crescemos tanto que determinamos a agenda dos candidatos a cargos públicos nesta última eleição, sobre tudo aqueles que concorreram as cadeiras do alto escalão da administração pública, candidatos à presidência da república.

O corpo evangélico, de hoje é muito eclético, antigamente tínhamos à má fama (apesar de que o evangelho sempre foi melhor compreendido por estes grupos), de hospedar em nossas igrejas, pessoas pobres, infelizes, não alfabetizadas, marginalizadas, negros, crianças de comunidades carentes, doentes, fracassados, etc, mas agora não;

Artistas, músicos, políticos, engenheiros, médicos, líderes de órgãos públicos, juizes, desembargadores, promotores, advogados então, tem saído pelo ladrão, empresários bem sucedidos, universitários, filósofos, temos até ateus... Esses grupos sociais e muitos outros que me faltam ao pensamento, formam o nosso plantél, que é invejável e aguça a cobiça de muitos.

Todas essas informações, trazem a nós, ao menos três (03) sentimentos e pensamentos errôneos:

- Dever cumprido

- Há crescimento de verdade

- Igreja brasileira está madura
 
Vamos avaliar cada uma delas, vejamos...
 
 
Continua...

Sentimentos e Pensamentos Errôneos, em relação a Igreja brasileira - II

1° - Dever cumprido

Na verdade é assim que muitos cristãos se sentem, com a alma lavada, pois o que deveria ser feito na igreja brasileira, foi feito e agora o povo evangélico só cresce, nós não temos que pregar, pois atingimos níveis tão elevados de desejo nas pessoas, que não precisamos fazer mais nada.


Esse pensamento é, ou fruto da ação direta do diabo ou fruto da ação direta de alguém que não entendeu direito o “Ide” excelente de Jesus.

O diabo tem interesse que a igreja estagne, torne-se improdutiva e inérte, porque ele sabe que o serviço cristão continuado, traz maturidade e valor aos crentes, como dizia certo pregador - “Se a igreja está doente, receite uma dieta de missões, e logo ficará sã” - Por isso, o diabo tem semeado no meio da lavoura de Deus, esta semente do “falso dever cumprido”, não caíamos nessa, ainda temos muito a fazer pela igreja brasileira.

Mas essa ideia pode, também, ter surgido no porão da alma de algum crente que não fez direito a hermenêutica do “Ide” excelente de Jesus, ele entendeu que a igreja já obedeceu e agora deve apenas colher os frutos do semeio, na verdade, essa interpretação é equivocada, uma vez que o “Ide” não é imperativo, mas sugere continuidade.

Seria melhor traduzido por - “Indo” - ou seja, não é pra irmos e fazermos discípulos, porém para, conforme andamos irmos fazendo discípulos.

Indica que o trabalho de fazer discípulo não é imediato e não consiste em sair e fazer um discípulo, mas enquanto estivermos como peregrinos, andando, vamos fazendo discípulos.

Dito isso, a igreja precisa entender que o dever ainda está por se cumprir, muito ainda há por fazer, então arregassem as mangas e vamos trabalhar, o “Ide” é pra agora.


Continua...

Sentimentos e Pensamentos Errôneos, em relação a Igreja brasileira - III

2° - Há crescimento de verdade

Se por um lado somos tentados a entrar numa improdutividade sem precedentes, por outro, diariamente somos convidados a admitir um real crescimento da igreja, ao invés de sugerirmos que o fenômeno se encaixa mais em “inchaço gospel”, que em crescimento real.


É só você olhar nas escrituras e ler textos como:

“Acautelai-vos, porém, dos homens; porque eles vos entregarão aos sinédrios, e vos açoitarão nas suas sinagogas” - Mt 10.17.

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome” - Mt 24.9.

“Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós...” - Jo 15,20.

“Expulsar-vos-ão das igrejas, sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus” - Jo 16.2.

“E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições” - 2° Tm 3.12.

“Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados..." - Ap 2.10.

Ora, Jesus e os apóstolos diziam que seriamos perseguidos, mas estamos sendo amados. Compare estes textos com o amor e afeição que a sociedade brasileira dispensa a igreja. A igreja no Brasil, é amada, desejada, cortejada, todos querem ser “evangélicos”, até políticos querem a igreja...

Recentemente uma grande gravadora, se não à maior, começou a produzir obras de cantores evangélicos, e daí eu ouvi, alguns cantores, ditos gospel, dizendo: “Deus está alargando ás tendas” . Será mesmo? Ou as gravadoras estão interessadas nessa fatia mercadológica que é composta por cristãos evangélicos? Será que a igreja está em alta mesmo? Ou aqueles fracassados que estão vindo à igreja, de todos os seguimentos sociais, estão vendo na igreja um campo de trabalho e um meio de sobrevivência? É uma questão pra se pensar...

Diante da antipatia que o mundo deveria ter em relação a igreja, uma vez que “esta” vai contra todos os “rudimentos do mundo”, e a empatia que vemos, entre o mundo e a igreja, podemos perceber facilmente que “inchamos” mais que crescemos, esse crescimento é criticável, não aceitável, porque não se enquadra com o padrão das escrituras...


Continua...

Sentimentos e Pensamentos Errôneos, em relação a Igreja brasileira - IV

3° - Igreja brasileira está madura

O crescimento indica maturidade, mas não o inchaço, este não. Alguns tendem à pensar que a igreja está madura, mas na verdade, não está, poderíamos escrever um livro com o tema: “Evidências da infantilidade da igreja brasileira” - sei que não nos faltariam argumentos, porém, alguns são arguidos com tanta facilidade que cabe suas citações aqui:


a) Nunca tivemos tanta bíblia, porém nunca fomos tão medíocres em relação ao conhecimento bíblico.

Essa é uma evidência clara do não desenvolvimento da igreja brasileira, não se conhece mais as escrituras, e isso se deve à algumas razões:

- Líderes das igrejas que não conhecem a Bíblia – são obreiros feitos ás pressas, homens que não tiveram tempo para se aproximarem das escrituras como deveriam, e por isso, são vazios e deixam um vazio no povo.

– Desprezo pelos Seminários, EBDs, Cursos, e o pior, culto de ensino – o pastor, no culto de ensino, se locupleta de louvores, e não se desgasta na catequese dos cristãos por meio das escrituras, hoje à uma febre de seminário, mas sem propósito, alguns surgiram apenas para sustentar doutrinas, outros para sustentar quem sustenta tais doutrinas, e outros ainda, para mostra como a fé é “laica”, ampla, aberta, nestes, se aceitam todo tipo de crença, muçulmanos, budistas, etc, todos estudando teologia, uns para crer, outros para descrer, outros para questionar e aquelesque não farão nada, este se tornarão pastores de algumas igreja...

- Secularização das editoras – algumas editoras que nasceram com o escopo de atender o povo eleito, produzindo bíblias e livros, hoje se mundanizaram, não se produz o que é teológicamente bom, mas sim, o que tem maior aceitação no mercado, a pergunta é: - “se colocarmos à venda na revistinha da Avón, e nos sites vende? Então vamos editorar e produzir” - é lamentável que seja assim, mas é.

Agora à uma nova modalidade de lançamento de bíblias, trabalha-se em cima do nome de certo escritor, publicá-se um, dois, três, quantos livros forem necessários, quando o nome estiver bem conhecido, então se lança uma Bíblia do indivíduo, quer dizer comentada por ele.

b) – Falta discipulado

Se negligenciamos o conhecimento bíblico, também abortamos o discipulado, a igreja cresceu, mas os novos crentes não foram discipulados e por isso, o que poderia ser crescimento real, tornou-se inchaço, é necessário que resgatemos o valor do discipulado como único meio de amadurecimento genuinamente reconhecido pelas escrituras. Nenhum cristão nasce pronto, todos estamos em vias de a aperfeiçoamento, mas para isso é indubitável que passemos pelo processo amadurecedor do discipulado, este visa, exatamente isso, amadurecer os cristãos e levá-los a reproduzir integralmente as ações e piedade de Cristo!!!
 
Abraços!!!

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

A Igreja do Diabo, de Machado de Assis - Vol. I

Li este livro estes dias, achei fantástica a forma usada por Machado de Assis, para descrever a contradição humana.

O Livro se chama: - "A Igreja do diabo" - e vale apena ser lido, o link para ele na internet é: ttp://www.bibvirt.futuro.usp.br/, mas se quiser vou repassá-lo aqui, é muito bom, vale a pena ler...


O Plano de uma Igreja

De uma idéia mirífica

Conta um velho manuscrito beneditino que o Diabo, em certo dia, teve a idéia de fundar uma igreja. Embora os seus lucros fossem contínuos e grandes, sentia-se humilhado com o papel avulso que exercia desde séculos, sem organização, sem regras, sem cânones, sem ritual, sem nada. Vivia, por assim dizer, dos remanescentes divinos, dos descuidos e obséquios humanos.

Nada fixo, nada regular. Por que não teria ele a sua igreja? Uma igreja do Diabo era o meio eficaz de combater as outras religiões, e destruí-las de uma vez.

— Vá, pois, uma igreja, concluiu ele. Escritura contra Escritura, breviário contra breviário. Terei a minha missa, com vinho e pão à farta, as minhas prédicas, bulas, novenas e todo o demais aparelho eclesiástico. O meu credo será o núcleo universal dos espíritos, a minha igreja uma tenda de Abraão. E depois, enquanto as outras religiões se combatem e se dividem, a minha igreja será única; não acharei diante de mim, nem Maomé, nem Lutero. Há muitos modos de afirmar; há só um de negar tudo.

Dizendo isto, o Diabo sacudiu a cabeça e estendeu os braços, com um gesto magnífico e varonil. Em seguida, lembrou-se de ir ter com Deus para comunicar-lhe a idéia, e desafiá-lo; levantou os olhos, acesos de ódio, ásperos de vingança, e disse consigo:

— Vamos, é tempo. E rápido, batendo as asas, com tal estrondo que abalou todas as províncias do abismo, arrancou da sombra para o infinito azul.

Fonte:
ASSIS, Machado de. Volume de contos. Rio de Janeiro : Garnier, 1884.
Texto proveniente de: A Biblioteca Virtual do Estudante Brasileiro
A Escola do Futuro da Universidade de São Paulo - Permitido o uso apenas para fins educacionais.


Continua...........

A Igreja do Diabo, de Machado de Assis - Vol. II

Deus e o Diabo - Reunião no Céu

Entre Deus e o Diabo

Deus recolhia um ancião, quando o Diabo chegou ao céu. Os serafins que engrinaldavam o recém-chegado, detiveram-se logo, e o Diabo deixou-se estar à entrada com os olhos no Senhor.

— Que me queres tu? perguntou este.

— Não venho pelo vosso servo Fausto, respondeu o Diabo rindo, mas por todos os Faustos do século e dos séculos.

— Explica-te.

— Senhor, a explicação é fácil; mas permiti que vos diga: recolhei primeiro esse bom velho; dai-lhe o melhor lugar, mandai que as mais afinadas cítaras e alaúdes o recebam com os mais divinos coros...

— Sabes o que ele fez? perguntou o Senhor, com os olhos cheios de doçura.

— Não, mas provavelmente é dos últimos que virão ter convosco. Não tarda muito que o céu fique semelhante a uma casa vazia, por causa do preço, que é alto. Vou edificar uma hospedaria barata; em duas palavras, vou fundar uma igreja. Estou cansado da minha desorganização, do meu reinado casual e adventício. É tempo de obter a vitória final e completa. E então vim dizer-vos isto, com lealdade, para que me não acuseis de dissimulação... Boa idéia, não vos parece?

— Vieste dizê-la, não legitimá-la, advertiu o Senhor.

— Tendes razão, acudiu o Diabo; mas o amor-próprio gosta de ouvir o aplauso dos mestres. Verdade é que neste caso seria o aplauso de um mestre vencido, e uma tal exigência... Senhor, desço à terra; vou lançar a minha pedra fundamental.

— Vai.

— Quereis que venha anunciar-vos o remate da obra?

— Não é preciso; basta que me digas desde já por que motivo, cansado há tanto da tua desorganização, só agora pensaste em fundar uma igreja.

O Diabo sorriu com certo ar de escárnio e triunfo. Tinha alguma idéia cruel no espírito, algum reparo picante no alforje de memória, qualquer coisa que, nesse breve  instante de eternidade, o fazia crer superior ao próprio Deus. Mas recolheu o riso, e disse:

— Só agora concluí uma observação, começada desde alguns séculos, e é que as virtudes, filhas do céu, são em grande número comparáveis a rainhas, cujo manto de veludo rematasse em franjas de algodão. Ora, eu proponho-me a puxá-las por essa franja, e trazêlas todas para minha igreja; atrás delas virão as de seda pura...

— Velho retórico! murmurou o Senhor.

— Olhai bem. Muitos corpos que ajoelham aos vossos pés, nos templos do mundo, trazem as anquinhas da sala e da rua, os rostos tingem-se do mesmo pó, os lenços cheiram aos mesmos cheiros, as pupilas centelham de curiosidade e devoção entre o livro santo e o bigode do pecado. Vede o ardor,

— a indiferença, ao menos,
— com que esse cavalheiro põe em letras públicas os benefícios que liberalmente espalha,
— ou sejam roupas ou botas, ou moedas, ou quaisquer dessas matérias necessárias à vida... Mas não quero parecer que me detenho em coisas miúdas; não falo, por exemplo, da placidez com que este juiz de irmandade, nas procissões, carrega piedosamente ao peito o vosso amor e uma comenda...

— Vou a negócios mais altos...

Nisto os serafins agitaram as asas pesadas de fastio e sono. Miguel e Gabriel fitaram no Senhor um olhar de súplica. Deus interrompeu o Diabo.

— Tu és vulgar, que é o pior que pode acontecer a um espírito da tua espécie, replicou-lhe o Senhor. Tudo o que dizes ou digas está dito e redito pelos moralistas do mundo. É assunto gasto; e se não tens força, nem originalidade para renovar um assunto gasto, melhor é que te cales e te retires. Olha; todas as minhas legiões mostram no rosto os sinais vivos do tédio que lhes dás. Esse mesmo ancião parece enjoado; e sabes tu o que ele fez?

— Já vos disse que não.

— Depois de uma vida honesta, teve uma morte sublime. Colhido em um naufrágio, ia salvar-se numa tábua; mas viu um casal de noivos, na flor da vida, que se debatiam já um a morte; deu-lhes a tábua de salvação e mergulhou na eternidade. Nenhum público: a água e o céu por cima. Onde achas aí a franja de algodão?

— Senhor, eu sou, como sabeis, o espírito que nega.

— Negas esta morte?

— Nego tudo. A misantropia pode tomar aspecto de caridade; deixar a vida aos outros, para um misantropo, é realmente aborrecê-los...

— Retórico e sutil! exclamou o Senhor. Vai, vai, funda a tua igreja; chama todas as virtudes, recolhe todas as franjas, convoca todos os homens... Mas, vai! vai!

Debalde o Diabo tentou proferir alguma coisa mais. Deus impusera-lhe silêncio; os serafins, a um sinal divino, encheram o céu com as harmonias de seus cânticos.

O Diabo sentiu, de repente, que se achava no ar; dobrou as asas, e, como um raio, caiu na terra.

Fonte:
ASSIS, Machado de. Volume de contos. Rio de Janeiro : Garnier, 1884.
Texto proveniente de: A Biblioteca Virtual do Estudante Brasileiro
A Escola do Futuro da Universidade de São Paulo - Permitido o uso apenas para fins educacionais.

 
Continua....

A Igreja do Diabo, de Machado de Assis - Vol. III

A comercialização da idéia


A boa nova aos homens


Uma vez na terra, o Diabo não perdeu um minuto. Deu-se pressa em enfiar a cogula beneditina, como hábito de boa fama, e entrou a espalhar uma doutrina nova e extraordinária, com uma voz que reboava nas entranhas do século. Ele prometia aos seus discípulos e fiéis as delícias da terra, todas as glórias, os deleites mais íntimos.

Confessava que era o Diabo; mas confessava-o para retificar a noção que os homens tinham dele e
desmentir as histórias que a seu respeito contavam as velhas beatas.

- Sim, sou o Diabo, repetia ele; não o Diabo das noites sulfúreas, dos contos soníferos, terror das crianças, mas o Diabo verdadeiro e único, o próprio gênio da natureza, a que se deu aquele nome para arredá-lo do coração dos homens. Vede-me gentil e airoso.

- Sou o vosso verdadeiro pai. Vamos lá: tomai daquele nome, inventado para meu desdouro, fazei dele um troféu e um lábaro, e eu vos darei tudo, tudo, tudo, tudo, tudo, tudo...

Era assim que falava, a princípio, para excitar o entusiasmo, espertar os indiferentes, congregar, em suma, as multidões ao pé de si. E elas vieram; e logo que vieram, o Diabo passou a definir a doutrina.

A doutrina era a que podia ser na boca de um espírito de negação. Isso quanto à substância, porque, acerca da forma, era umas vezes sutil, outras cínica e deslavada. Clamava ele que as virtudes aceitas deviam ser substituídas por outras, que eram as naturais e legítimas.

A soberba, a luxúria, a preguiça foram reabilitadas, e assim também a avareza, que declarou não ser mais do que a mãe da economia, com a diferença que a mãe era robusta, e a filha uma esgalgada. A ira tinha a melhor defesa na existência de Homero; sem o furor de Aquiles, não haveria a Ilíada: "Musa, canta a cólera de Aquiles, filho de Peleu..." O mesmo disse da gula, que produziu as melhores páginas de Rabelais, e muitos bons versos de Hissope; virtude tão superior, que ninguém se lembra das batalhas de Luculo, mas das suas ceias; foi a gula que realmente o fez imortal Mas, ainda pondo de lado essas razões de ordem literária ou histórica, para só mostrar o valor intrínseco daquela virtude, quem negaria que era muito melhor sentir na boca e no ventre os bons manjares, em grande cópia, do que os maus bocados, ou a saliva do jejum?

Pela sua parte o Diabo prometia substituir a vinha do Senhor, expressão metafórica, pela vinha do Diabo, locução direta e verdadeira, pois não faltaria nunca aos seus com o fruto das mais belas cepas do mundo.

Quanto à inveja, pregou friamente que era a virtude principal, origem de propriedades infinitas; virtude preciosa, que chegava a suprir todas as outras, e ao próprio talento.

As turbas corriam atrás dele entusiasmadas. O Diabo incutia-lhes, a grandes golpes de eloqüência, toda a nova ordem de coisas, trocando a noção delas, fazendo amar as perversas e detestar as sãs.

Nada mais curioso, por exemplo, do que a definição que ele dava da fraude. Chamava-lhe o braço esquerdo do homem; o braço direito era a força; e concluía: Muitos homens são canhotos, eis tudo. Ora, ele não exigia que todos fossem canhotos; não era exclusivista. Que uns fossem canhotos, outros destros; aceitava a todos, menos os que não fossem nada.

A demonstração, porém, mais rigorosa e profunda, foi a da venalidade. Um casuísta do tempo chegou a confessar que era um monumento de lógica. A venalidade, disse o Diabo, era o exercício de um direito superior a todos os direitos. Se tu podes vender a tua casa, o teu boi, o teu sapato, o teu chapéu, coisas que são tuas por uma razão jurídica e legal, mas que, em todo caso, estão fora de ti, como é que não podes vender a tua opinião, o teu voto, a tua palavra, a tua fé, coisas que são mais do que tuas, porque são a tua própria consciência, isto é, tu mesmo? Negá-lo é cair no absurdo e no contraditório. Pois não há mulheres que vendem os cabelos? não pode um homem vender uma parte do seu sangue para transfundi-lo a outro homem anêmico? e o sangue e os cabelos, partes físicas, terão um privilégio que se nega ao caráter, à porção moral do homem?

Demonstrado assim o princípio, o Diabo não se demorou em expor as vantagens de ordem temporal ou
pecuniária; depois, mostrou ainda que, à vista do preconceito social, conviria dissimular o exercício de um direito tão legítimo, o que era exercer ao mesmo tempo a venalidade e a hipocrisia, isto é, merecer aplicadamente.

E descia, e subia, examinava tudo, retificava tudo. Está claro que combateu o perdão das injúrias e outras máximas de brandura e cordialidade. Não proibiu formalmente a calúnia gratuita, mas induziu a exercê-la mediante retribuição, ou pecuniária, ou de outra espécie; nos casos, porém, em que ela fosse uma expansão imperiosa da força imaginativa, e nada mais, proibia receber nenhum salário, pois equivalia a fazer pagar a transpiração. Todas as formas de respeito foram condenadas por ele, como elementos possíveis de um certo decoro social e pessoal; salva, todavia, a única exceção do interesse. Mas essa mesma exceção foi logo eliminada, pela consideração de que o interesse, convertendo o respeito em simples adulação, era este o sentimento aplicado e não aquele.

Para rematar a obra, entendeu o Diabo que lhe cumpria cortar por toda a solidariedade humana.

Com efeito, o amor do próximo era um obstáculo grave à nova instituição. Ele mostrou que essa regra era uma simples invenção de parasitas e negociantes insolváveis; não se devia dar ao próximo senão indiferença; em alguns casos, ódio ou desprezo. Chegou mesmo à demonstração de que a noção de próximo era errada, e citava esta frase de um padre de Nápoles, aquele fino e letrado Galiani, que escrevia a uma das marquesas do antigo regime: "Leve a breca o próximo! Não há próximo!" A única hipótese em que ele permitia amar ao próximo era quando se tratasse de amar as damas alheias, porque essa espécie de amor tinha a particularidade de não ser outra coisa mais do que o amor do indivíduo a si mesmo.

E como alguns discípulos achassem que uma tal explicação, por metafísica, escapava à compreensão das turbas, o Diabo recorreu a um apólogo:

— Cem pessoas tomam ações de um banco, para as operações comuns; mas cada acionista não cuida realmente senão nos seus dividendos: é o que acontece aos adúlteros. Este apólogo foi incluído no livro da sabedoria.

Fonte:
ASSIS, Machado de. Volume de contos. Rio de Janeiro : Garnier, 1884.
Texto proveniente de: A Biblioteca Virtual do Estudante Brasileiro
A Escola do Futuro da Universidade de São Paulo - Permitido o uso apenas para fins educacionais.


Continua...

A Igreja do Diabo, de Machado de Assis - Vol. IV

A Frustração do cão...


Franjas e franjas

A previsão do Diabo verificou-se. Todas as virtudes cuja capa de veludo acabava em franja de algodão, uma vez puxadas pela franja, deitavam a capa às urtigas e vinham alistar-se na igreja nova.

Atrás foram chegando as outras, e o tempo abençoou a instituição. A igreja fundara-se; a doutrina propagava-se; não havia uma região do globo que não a conhecesse, uma língua que não a traduzisse, uma raça que não a amasse. O Diabo alçou brados de triunfo.

Um dia, porém, longos anos depois notou o Diabo que muitos dos seus fiéis, às escondidas, praticavam as antigas virtudes. Não as praticavam todas, nem integralmente, mas algumas, por partes, e, como digo, às ocultas.

Certos glutões recolhiam-se a comer frugalmente três ou quatro vezes por ano, justamente em dias de preceito católico;

Muitos avaros davam esmolas, à noite, ou nas ruas mal povoadas;

Vários dilapidadores do erário restituíam-lhe pequenas quantias;

Os fraudulentos falavam, uma ou outra vez, com o coração nas mãos, mas com o mesmo rosto dissimulado, para fazer crer que estavam embaçando os outros.

A descoberta assombrou o Diabo. Meteu-se a conhecer mais diretamente o mal, e viu que lavrava muito.

Alguns casos eram até incompreensíveis, como o de um droguista do Levante, que envenenara longamente uma geração inteira, e, com o produto das drogas, socorria os filhos das vítimas.

No Cairo achou um perfeito ladrão de camelos, que tapava a cara para ir às mesquitas.

O Diabo deu com ele à entrada de uma, lançou-lhe em rosto o procedimento; ele negou, dizendo que ia ali roubar o camelo de um drogomano; roubou-o, com efeito, à vista do Diabo e foi dá-lo de presente a um muezim, que rezou por ele a Deus.

O manuscrito beneditino cita muitas outras descobertas extraordinárias, entre elas esta, que desorientou completamente o Diabo.

Um dos seus melhores apóstolos era um calabrês, varão de cinqüenta anos, insigne falsificador de documentos, que possuía uma bela casa na campanha romana, telas, estátuas, biblioteca, etc. Era a fraude em pessoa; chegava a meterse na cama para não confessar que estava são. Pois esse homem, não só não furtava ao jogo, como ainda dava gratificações aos criados. Tendo angariado a amizade de um cônego, ia todas as semanas confessar-se com ele, numa capela solitária; e, conquanto não lhe desvendasse nenhuma das suas ações secretas, benzia-se duas vezes, ao ajoelhar-se, e ao levantar-se.

O Diabo mal pôde crer tamanha aleivosia. Mas não havia que duvidar; o caso era verdadeiro.

Não se deteve um instante. O pasmo não lhe deu tempo de refletir, comparar e concluir do espetáculo presente alguma coisa análoga ao passado. Voou de novo ao céu, trêmulo de raiva, ansioso de conhecer a causa secreta de tão singular fenômeno.

Deus ouviu-o com infinita complacência; não o interrompeu, não o repreendeu, não triunfou, sequer, daquela agonia satânica. Pôs os olhos nele, e disse-lhe:

— Que queres tu, meu pobre Diabo? As capas de algodão têm agora franjas de seda, como as de veludo tiveram franjas de algodão. Que queres tu? É a eterna contradição humana.

Fonte:
ASSIS, Machado de. Volume de contos. Rio de Janeiro : Garnier, 1884.
Texto proveniente de: A Biblioteca Virtual do Estudante Brasileiro
A Escola do Futuro da Universidade de São Paulo - Permitido o uso apenas para fins educacionais.

Abraços!!!

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Dando a vida pelo seu irmão!!!

Essa notíca está no site globo.com, e muito me emocionou ao ver a disposição de Igor, em salvar seu irmão mais novo, nos dando uma grande lição de valor, diante dessa sociedade, que tanto despreza a família, leia por favor a reportagem:


Corpo de menino que caiu em córrego é encontrado na Zona Sul de SP


Bombeiros o localizaram no Rio Pinheiros, próximo à estação Jurubatuba.

Corpo do outro irmão já havia sido encontrado no domingo (28).

Do G1 SP

Corpo é localizado em SP

(Foto: Reprodução/TV Globo)O Corpo de Bombeiros encontrou o corpo do outro menino, de 10 anos, que caiu no Córrego Zavuvus, em Americanópolis, na Zona Sul de São Paulo, na noite de quinta-feira (25). Os dois irmãos, Herbert, de 9 anos, e Igor, de 10 anos, foram levados pela enxurrada, depois que o córrego encheu devido a uma forte chuva que atingiu a região.

Depois de cinco dias de buscas, o corpo de Igor foi localizado no Rio Pinheiros, próximo à estação Jurubatuba da CPTM, na Zona Sul de São Paulo, por volta das 13h35 desta terça-feira. O reconhecimento da criança já foi feito, segundo os bombeiros. O corpo de Herbert já havia sido encontrado no domingo, a cerca de 700 metros de onde havia desaparecido. Na ocasião, a mãe das crianças, Simone Camila da Silva, reconheceu o corpo como sendo de Hebert.

Bombeiros aumentam área de busca por irmãos que sumiram em córrego

Tenho esperança de encontrá-los vivos’, diz mãe de irmãos sumidos ‘A diversão delas é brincar na chuva’, diz vizinho de crianças que sumiram No momento em que os meninos desapareceram, a enxurrada era muito forte. “Um escorregou lá na frente da minha casa. Caiu dentro do córrego. O outro mais velho saiu gritando: ‘o meu irmão caiu dentro do córrego’ e saiu correndo pela vila inteira. Ele se jogou para salvar o irmão dele”, contou a aposentada Maria Edelma da Silva.

Desesperados, os moradores correram pela margem do córrego, na tentativa de salvar as crianças, mas a força d’água foi mais forte.


Uma lição á aprender

Quantos de nós temos a chance de salvar um irmão e não pulamos n´agua? Com medo de sermos tragados pelas correntezas, ficamos inertes, apáticos, fingindo que não temos nada á ver com isso.

Devemos aprender com o pequeno Igor, a nos lançar nas caldais águas da vida,  a fim de vermos se conseguimos salvar alguém, se não tiver êxito no resgate, teremos em deixar lições...

Abraços!!!!!!!!

Natalinas - Por Pastor Jonas Jaques

Com algum adendo, que hoje fiz para adequá-lo no tempo, eis meu texto natalino com um "aninho de idade", que hoje reproduzo para remeter a alguns alunos novos, que ano pasado não estavam entre nós. A razão da remessa? Já me sinto nas "brumas natalinas".


Aos amigos, irmãos em Cristo; aos alunos do ITEB com os quais tenho convivido, e aos demais...

UM IMPORTANTE DIA DO BAÚ DE MINHA VIDA

Um infante; quatro anos de idade. Extasiava-me olhando, admirado, aquela estranha "árvore plantada" frente ao pequeno púlpito, daquele "acanhado" templo da Igreja Cristã Evangélica. Minha mãe, mulher assembleiana da primeira geração, hábil na arte de transitar pacificamente nos demais arraiais religiosos da cidade, levou-nos (os filhos) àquele recinto para a comemoração do Natal, posto que, alguns dias antes, visitara nossa casa um par de missionários americanos que "intimara" minha mãe a levar "suas crianças" ao culto na noite de Natal, onde, naquela ocasião, receberíamos presentes, com os demaispequerruchos que lá estariam.

Curioso e inquieto, meus olhos cobiçosos não se desviavam das luzes, das bolinhas coloridas e, especialmente, dos "imaginados" conteúdos ocultos em papéis de presentes, provocativamente colocados ao pé daquela estrutura cônica enfeitada e brilhante.

Ao órgão, Dona Meire dirigia os cânticos natalinos (anos mais tarde a esculpi mentalmente na silhueta da não menos saudosa musicista, Missionária Ruth *Doris Lemos **-- minha mestra**). Coadjuvante na parte musical, pastor Diego manejava e extraía som agudo e festivo de seu banjo. Era Noite de Natal! Com habilidade e talento de um ibadiano (desculpem-me, IBAD ainda não existia), * aquele pastor narrou a velha história e o significado da comemoração que se fazia naquela noite.

Afáveis, sorridentes e receptivos, aquele casal de missionários americanos expressavam e inspiravam confiança, dando-nos a certeza de que eram amigos.

Ao encerrar o culto, pondo fim à ansiedade e expectativa da criançada, pastor Diego pediu que cada criança deixasse o lugar em que estava e, dirigindo-se à "árvore" pegasse o seu presente. Houve regozijo, sorrisos das crianças, cuja condição econômica familiar, nunca antes provocara semelhantes sorrisos; mães, timidamente contidas em suas manifestações, lacrimejavam. Naquela noite *Especial* para mim, criança na forma e na compreensão, associaria o Natal a momentos de real regozijo, de dádiva (com ou sem pinheirinho), de amor e doação ao próximo (Nesse particular, inspirativa é a parábola do samaritano. Lucas 10:33 a 37).

Doação alegre. Alegria por personificar perante gente o ato de Deus, usando meios e métodos adequados à compreensão -- não de anjos -- mas, de homens e mulheres simples, caídos, "assaltados" pelas adversidades da vida (a propósito: não menos inspirativo que a parábola, sugiro a história Olson entre os motilones, no livro "Por Esta Cruz Te Matarei"). Doação, serviço e amor que se efetiva -- não nos estreitos limites do 25 de dezembro, 06 de janeiro ou qualquer outra data a gosto da vã religiosidade -- mas, na amplitude da vida, no dia-a-dia, materializando-se, personificando-se, transformando-se em "fio condutor", da humanização, da beleza do que o Cristo deseja que haja entre os homens, cujo sentido maior Ele realizou: Deu-se!!!

Impõe-se um indagar pertinente: que dizem os homens acerca do Natal? Proponho um desafio: Nos dias que antecedem o dia comemorativo ao Natal, saiamos às ruas, e exercitemos, com doçura e nobreza nossa capacidade de indagar às pessoas. Demonstrando-lhes nossa simpatia, façamos-lhes tal pergunta. Por certo, uma parcela significativa dos indagados dirá que o Natal é o aguilhão do consumismo materialista;

Alguns declararão ser o natal uma festividade geradora de stress; outros dirão que é a data internacional da hipocrisia, da ostentação e insensibilidade que se contrapõe à carência quase absoluta dos que "moram ao lado"; a minoria indagada, certamente, manifestará indiferença, dizendo: "Afinal... é um dia como qualquer outro; como os demais dias, não há motivos para celebrar!".*

Do ponto de vista existencial cristão, o Natal é radicalizante:

"Mas quando deres um banquete, convide os pobres, os aleijados, os mancos, e os cegos. *Feliz será você*, porque estes não têm como retribuir".

Quão distantes estarmos do modelo, não é?

Disse George Eliot (pseudônimo de Mary Ann Evans): "Nunca é tarde demais para ser o que você desejou ser". Unte esse propósito com a unção do Espírito Santo e desenvolva a vocação e seu chamado. A doação pressupõe perda. No Natal a mensagem embutida é a perda. *Quem perder a sua vida...,* lembram-se?

Esta é a função precípua do fiel: Dar de graça o que de graça recebeu. *O apóstolo* de Tarso fez coro com o Mestre:

"...*para repartir com quem estiver em necessidade*".

Natal é P a r t i l h a..a...a...a! sobretudo, com quem não possui condições de retribuir. Não espere devolução, nem parabéns; às vezes, nem obrigado. Partilhe!!!!

Na aula de hoje, estudando a parte prática da vida cristã ensinada pelo apóstolo aos irmãos em Éfeso, detive-me sobre 4:28 para enfatizar o verbo REPARTIR inserido numa realidade específica. " com quem estiver em necessidade." É ato de uma vida que, despindo-se da velha natureza, reveste-se da nova natureza, em Cristo, e que, agora se expressa em atos cujo louvor é direcionado ao Pai que está nos céus. REPARTIR! PARTILHAR!

Um presente encharcado com o verdadeiro significado do Natal impregnou minha mente de criança e produziu desdobramentos que se eternizam.

Havia "um fio condutor"! Qual ??? A motivação materializada daquele casal de missionários. Diego e Meire se fizeram não mais que humildes instrumentos para revelar, na prática, na singeleza de seus atos, traduzindo por meios e métodos humanos o verdadeiro significado do Natal. Exauriram suas vidas no "hinterland" do Pará, certos que o cumprimento de suas vocações, levadas a efeito entre àquela "gente pobre carente de amor e de tudo", naquela insignificante cidadezinha, cumpria o verdadeiro propósito de Deus em suas vida.

Afinal, doavam-se.

Aprendi, quando menino, ser essa, a essência do Natal. Personifiquemos em nós mesmos o sentido mais profundo e exigido do Natal (Olhai o sertão do Brasil)

Pr. (JJ)



Abraços!!!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

REVANCHE DA MULHERADA!!!!

Minha sobrinha estava meio nervosa e me mandou esse email, vê se pode...


Depois de tantos e-mails machistas pela net, eis a revanche das mulheres:



CORAÇÃO DE MULHER É IGUAL CIRCO:
Sempre tem lugar para mais um palhaço...

O QUE SE DEVE DAR A UM HOMEM QUE PENSA QUE TEM TUDO?
Uma mulher para ensiná-lo como funciona!

POR QUE AS MULHERES CASADAS SÃO MAIS GORDAS DO QUE AS SOLTEIRAS?
A solteira chega em casa, vê o que tem na geladeira e vai pra cama, a casada vê o que tem na cama e vai pra geladeira.

COMO SE CHAMA UMA MULHER QUE SABE ONDE SEU MARIDO ESTÁ TODAS AS NOITES?
R.: Viúva.

POR QUE AS ARANHAS VIÚVAS-NEGRAS MATAM O MACHO DEPOIS DA CÓPULA?
Para acabar com o ronco antes que ele comece.

POR QUE APENAS 10% DOS HOMENS VÃO PARA O CÉU?
Porque se todos fossem, seria o inferno!

QUAL A DIFERENÇA ENTRE HOMENS E PORCOS ?
Porcos não viram homens quando bebem.

O QUE ACONTECEU À MULHER QUE CONSEGUIU ENTENDER OS HOMENS?
Ela morreu de tanto rir e não teve tempo de contar a ninguém.

POR QUE É QUE OS HOMENS TÊM A CONSCIÊNCIA LIMPA?
Porque nunca a usam... (perfeito)

POR QUE DEUS CRIOU PRIMEIRO O HOMEM, E DEPOIS A MULHER?
Porque as experiências são feitas primeiro com animais e depois com humanos!!!

POR QUE OS HOMENS GOSTAM DE MULHERES INTELIGENTES?
Porque os opostos se atraem!

QUAL O LIVRO MAIS FINO DO MUNDO ?
Tudo o que os homens sabem sobre as mulheres.


QUAL A DIFERENÇA ENTRE OS HOMENS E AS FRUTAS?
Um dia, as frutas amadurecem...

POR QUE AS PILHAS SÃO MELHORES QUE OS HOMENS?
Porque elas têm pelo menos um lado positivo ...

POR QUE UM HOMEM NÃO PODE TER UM BOM CARÁTER E SER INTELIGENTE AO MESMO TEMPO?
Porque assim seria mulher !!!

POR QUE SÃO NECESSÁRIOS MILHÕES DE ESPERMATOZÓIDES PARA FERTILIZAR UM ÚNICO ÓVULO ?
Porque os espermatozóides são masculinos e se negam a perguntar o caminho!!!

QUANDO É QUE UM HOMEM PERDE 90% DE SUA INTELIGÊNCIA?
Quando fica viúvo! (rsrsrsrsrrsrsrrsrrsrs) E os outros 10% quando o cachorro morre


Abraços!!!!!!!!!!

Josefo, conta como Zorobabel e os judeus reconstruiram o Templo em Jerusalém

Dario era ainda um simples cidadão, mas fizera a Deus um voto: se um dia subisse ao trono, restituiria ao Templo em Jerusalém tudo o que estava ainda na Babilônia dos vasos sagrados. Quando ele foi proclamado rei, aconteceu que Zorobabel, príncipe dos judeus, que era seu velho amigo, estava próximo dele. E assim, confiou a ele e a dois outros dos principais a direção de sua casa e de tudo o que mais de perto se referia à sua pessoa.


O grande rei, no primeiro ano de seu reinado, ofereceu um suntuoso banque­te aos seus principais auxiliares, aos maiorais dos medos e dos persas e aos gover­nadores das cento e vinte e sete províncias sobre as quais estendia o seu domí­nio, que ia desde as índias até a Etiópia. Terminado o banquete, todos se retira­ram, e Dario dormiu um pouco, mas logo acordou. Não podendo conciliar o sono novamente, pôs-se a conversar com aqueles três oficiais.

O vinho, o rei, a Mulher e a Verdade.
Ele prometeu conceder a quem melhor resolvesse o problema que iria propor que se vestisse de púrpura, usasse um colar de ouro, bebesse em taça de ouro, dormisse em um leito de ouro, passeasse num carro em que os arreios dos cava­los eram de ouro, usasse uma tiara de fino linho, se sentasse perto dele e fosse considerado seu parente.

Perguntou então ao primeiro se a mais forte de todas as coisas do mundo não era o vinho.

Ao segundo, se não eram os reis.

Ao tercei­ro, se não eram as mulheres ou a verdade. Disse-lhes que pensassem. No dia seguinte, pela manhã, mandou chamar os príncipes, os grandes senhores da Pérsia e da Média, sentou-se no trono de onde costumava distribuir a justiça e ordenou aos três oficiais que respondessem na presença de toda a assembléia às perguntas que havia feito.

O primeiro, para mostrar a força do vinho, falou assim: "Parece-me não haver melhor prova para mostrar que tudo cede à força do vinho que vermos como ele perturba a razão e põe os próprios reis em tal estado que eles se tornam como crianças, as quais têm necessidade de serem guiadas; como dá aos escravos a liberdade de falar, deles tirada pela escravidão, e torna os pobres tão contentes quanto os ricos; como muda de tal sorte o Espírito dos homens que, mesmo nas maiores misérias, afoga os sentimentos de sua desgraça; como os faz esquecer a própria desdita e os persuade de que estão em tal abundância que só falam de milhões; como lhes põe na boca as palavras que usam os que se encontram no cume da glória e lhes tira o medo das pessoas mais temíveis e dos maiorais mo­narcas; como os faz não conhecer e até odiar os seus melhores amigos. Depois eles adormecem e, despertando, encontram-se com o Espírito tranqüilo e nem se lembram mais do que disseram ou fizeram durante a embriaguez. Assim, creio que o vinho deve passar pela coisa mais forte do mundo".

O segundo, depois que o primeiro assim falou em favor do vinho, este encarregado de mostrar que nada iguala ao poder dos reis, procurou prová-lo com estas pala­vras: "Ninguém pode duvidar de que os homens são os senhores do universo, pois dominam toda a terra e o mar e fazem uso dos elementos para o que bem lhes parece. Mas os reis governam os homens e reinam sobre aqueles que domi­nam todos os animais. Que há, pois, que se possa comparar ao seu poder? Eles governam os seus súditos, e estes estão sempre prontos a obedecê-lo. Ele os põe, quando lhe apraz, em todos os perigos da guerra, e, embora seja necessário forçar muralhas ou combater em campo aberto ou atacar em montes inacessí­veis, eles não impõem dificuldade para se expor à morte e obedecê-lo. Depois de vencerem as batalhas, obtendo vitórias à custa do próprio sangue, toda a vanta­gem e toda a glória reverte em favor do rei, bem como o fruto dos trabalhos e dos suores daqueles dentre o povo que, enquanto os demais pegam em armas, cultivam a terra. Assim, os príncipes recolhem o que não tiveram o trabalho de semear, desfrutam todas as espécies de prazer e dormem à vontade, enquanto os seus guardas velam à porta sem dela se afastar, por maiores que sejam as necessidades que os chamem a outros lugares. Pode-se, pois, duvidar de que o poder dos reis não supere a todos os outros?"

O terceiro, Zorobabel, que devia falar por último, para mostrar que o poder das mulhe­res e da verdade é o mais forte, assim se expressou: "Estou de acordo com a força do vinho e o poder dos reis, mas ouso afirmar que o poder das mulheres é ainda maior. Os homens e os reis têm nelas a sua origem, e, se elas não tivessem posto no mundo os que cultivam as terras, a vinha não produziria o fruto cujo suco é tão agradável. De tudo teríamos falta sem as mulheres. Devemos ao seu trabalho as principais comodidades da vida: elas fiam a lã e o tecido com que nos vesti­mos. Têm cuidado de nossas famílias, e não poderíamos passar sem elas. A sua beleza tem tanto encanto que nos fazem desprezar o ouro, a prata e tudo o que há de mais rico no mundo para ganharmos o seu afeto. Para segui-las, abando­namos sem pesar mãe, pai, parentes, amigos e a nossa própria pátria. Fazemo-las senhoras não somente de tudo o que conquistamos com mil trabalhos na terra e no mar, mas de nós mesmos. Acrescentarei que vi o rei, senhor de tantas nações, permitir que Apaméia, sua senhora, filha de Rapsacés Temasim, lhe batesse no rosto e lhe arrancasse a coroa para pô-la na própria cabeça e vi o grande príncipe rir-se quando ela estava de bom humor, afligir-se quando ela estava triste, adulá-la, unificar-se aos sentimentos dela e rebaixar-se até pedir-lhe desculpas quando julgava tê-la desgostado em alguma coisa".

Todos os assistentes ficaram tão impressionados com essas palavras que co­meçaram a se entreolhar. Zorobabel então passou do louvor às mulheres ao da verdade: "Mostrei qual o poder das mulheres, mas nem as mulheres nem os reis são comparáveis à verdade. Por maior que seja a terra, por mais alto que seja o céu, por mais rápido que seja o curso do Sol, é Deus que os move e governa. Deus é justo e verdadeiro, e assim é evidente que nada se iguala ao poder da verdade. A injustiça nada pode contra ela. Enquanto todas as demais coisas são perecíveis e passam como um relâmpago, ela é imortal e subsiste eternamente. Além disso, as vantagens com que nos enriquece não duram menos que ela mesma: a fortuna não poderia tirá-la de nós nem o tempo alterá-la, porque está acima do alcance deles. E ela é tão pura que nada a pode corromper".

A proposta da reconstrução

Zorobabel assim falou, e muitos louvaram-no e confessaram que ele havia provado muito bem que nada é
mais poderoso que a verdade, a qual jamais envelhece e não está sujeita a mudanças. O rei disse-lhe que declarasse o que desejava daquilo que prometera ao que melhor respondesse às questões propos­tas, e o concederia de boa vontade, reconhecendo-o como o mais sábio e mais inteligente de todos. Disse ainda que desejava, no futuro, receber os seus conse­lhos e ter tanta consideração por ele como a um parente.

Zorobabel respondeu-lhe que não lhe pedia outra graça senão que cumprisse o voto que havia feito antes de ser elevado à dignidade da coroa: mandar recons­truir Jerusalém, restaurar o Templo de Deus e restituir todos os vasos sagrados que o rei Nabucodonosor mandara tirar e levar para a Babilônia. O rei então levantou-se do trono com o rosto alegre, beijou Zorobabel e ordenou que se escrevesse aos governadores de suas províncias, para que o ajudassem a recons­truir o Templo, bem como aos que o acompanhassem na viagem a Jerusalém. Deu também aos magistrados da Síria e da Fenícia ordem para que mandassem cortar cedros sobre o monte Líbano e os fizessem levar a Jerusalém e para que ajudassem os que iam reconstruir a cidade.
 
Deus seja louvado!
 
Abraços!!!

domingo, 28 de novembro de 2010

Chronos e Kairós, uma luta infinita!


O texto que você vai ler a seguir é um clássico de Salomão, estadista, poeta, engenheiro, filósofo, que conseguiu ter mil (1000)  mulheres e ainda assim, fazer poesias e prosas. Se você não ler a interpretação do texto, tenho certeza que seu coração já se deleitará na forma poética e clássica que o sábio tratou do tempo, veja só:

Tudo tem o seu tempo determinado;
Há tempo para todo o propósito debaixo do céu;
Há tempo de nascer, e tempo de morrer;
Tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;
Tempo de matar, e tempo de curar;
Tempo de derrubar, e tempo de edificar;
Tempo de chorar, e tempo de rir;
Tempo de prantear, e tempo de dançar;
Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras;
Tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;
Tempo de buscar, e tempo de perder;
Tempo de guardar, e tempo de lançar fora;
Tempo de rasgar, e tempo de coser;
Tempo de estar calado, e tempo de falar;
Tempo de amar, e tempo de odiar;
Tempo de guerra, e tempo de paz.
Tudo fez formoso em seu tempo.

Esse épico poema, nos ensina algumas lições á respeito do tempo e da vida, uma vez que á vida e os dias estão entrelaçados como papeis colados, se rasgar um ferirá o outro, e vice e versa. Essas lições nos mostram como viver bem os vários "tempos" e "instantes" nesta jornada rumo porto da eternidade...

1° - Você precisa desenvolver a capacidade de descrever os vários momentos da vida

Todo ser humano precisa entender que a vida não é um bloco único, é a soma de vários, que juntos formam um edifício. Esse edifício, que chamamos vida, tem vários e mínúsculos blocos te tempos, se soubermos como sentá-los, teremos uma ótima construção, caso contrário, viveremos fazendo retoques e reparos. É preciso que você saíba, que a vida tem tristezas e alegrias, pão e fome, vida e morte, ela é um conjunto de coisas, que se bem interligadas levam ao sucesso, mas se mal compreendidas fadam ao fracasso.

2° - Você precisa distinguir os tempos

Duas expressões recorrentementes são usadas nas escrituras para tempo, Kairós, chamado de tempo eterno, ou o tempo do Eterno, é considerado o tempo de Deus, que não pode ser medido por instrumentos humanos, mas que interfere nos acontecimentos terrestres, e que precisa ser conhecido do homem; e Cronos, deste deriva cronômetro, aparelho com capacidade de medir o tempo, este é o tempo dos homens, controlado pelos homens e definido segundo os padrões de entendimento humano.

Quando se fala em tempo, é necessário que se abra o leque, e compreenda essa verdade, o tempo é certo, quando o tempo humano é também o tempo de Deus, se não, não há sucesso, pois Deus estabeleceu tempos para todas as coisas debaixo do céu e para as relações subjetivas também.

3° - O tempo determina o sucesso e o fracasso

Não dá para separar o caju da castanha, também é impossível separar o sucesso e o fracasso do tempo, eles estão ligados como irmãos siameses, como flores e perfumes, se fizer a coisa certa, no tempo certo, estará fazedo a coisa certa, mas se fizer a coisa certa no tempo errado, estará fazendo a coisa errada, o tempo tem o poder de aperfeiçoar ou desfigurar nossas ações, então, faça o correto no momento correto e terá sucesso.

4° - Saiba lidar com isso, o tempo enfrenta problemas

Três são os problemas enfrentado pelo tempo, ou que nós temos que enfrentar, quando a matéria é tempo:
a) Morosidade - O tempo passa aproveite as oportunidades
b) Precipitação - O tempo precisa ser aproveitado, mas não adiantado.
c) Não interpretação - Você sabe que momento é esse da sua vida?

5° - Entenda de uma vez por todas, você não conseguirá entendero tempo sem o Espírito

Alguns homens, cheios do "Carisma" de Desus, conseguiram entender o tempo deles, e foram úteis, sonsiguiram, porque tinham o Espírito e este lhes revelava o tempo,como Paulo, Elias, Eliseu, dentre outros.

Façamos a oração do salmista que disse: - "Senhor, ensiná-nos a contar os nossos dias para que alcancemos corações sábios"!

Deus quer ensinar você a lidar com o tempo na vida, permitá-lhe fazer essa obra...

Abraços!!!

Casamento

O ùnico problema dessa foto é que o mocinho é corintiano, triste né? Mas fazer oquê?

Apesar de ser são paulino, só tinha essa foto em meus arquivos hoje, preciso baixar mais imagens, faço isso depois, para ilustrar o casamento. Vou escrever sobre casamento hoje, porque ontem, estive em uma ceromônia, que diga-se de passagem, foi muito bela, onde dois casais contriram núpcias, Abel e Andrezza, Paulo e Fátima.

O pastor Paulo Silas, eu, e o pastor Herodes, fomos responsáveis pela liturgia, que se seguiu tranquilamente, Paulo orou, eu preguei e Herodes fez a renovação dos votos, depois o casal foi abençoado pela oração que nosso pastor impetrou sobre eles.

Preguei com base em João 2.1-11, quando Jesus esteve no casamento de Caná da Galileia, e falei sobre a importancia de termos Jesus no nosso casamento. Aliás, Jesus deseja muito estar no epicentro de todas as áreas da nossa vida, mas sobre tudo em nosso casamento.

Talcez você me pergunte, porque é importante Jesus estar no meu casamento, a bíblia nos fornece respostas, vejamos:

- Jesus deve estar em nosso casamento, porque ás vezes as coisas saem do planejado.

O casal de Caná, tinha se programado, comprado vinho e alimentos suficientes para saciar á todos os convidados, mas, não sabemos se vieram mais pessoas, ou se quem veio, acabou consumiu á mais, o que sabemos é que a situação saiu do controle do casal e tudo poderia ter sido um desastre só, porém eles tinham se precavido e chamado Jesus. Jesus devolveu as coisas no eixo, consertou os desaranjos e tudo voltou a calmaria. É importante que Jesus esteja no seu casamento e família, a fim de trazer devolta ás coisas que saem do ppropósito.

- Jesus deve estar em nosso casamento, porque ás vezes o vinho se acaba.

Na cultura judaíca, o vinho era muito importante, aliás a história do vinho se confunde com a história dos judeus, em certo aspecto, além disso, o vinho era o simbolo de alegria, um provérbio ilustra bem isso, quando diz: - "... o vinho alegra o coração" - esta era a forma como os judeus viam o vinho, um meio de trazer alegria ao coração, então, faltar o vinho, era faltar alegria ao casamento, e isso determinaria que aquele casamento estava fadado ao precipício do fracasso, entretanto aquele casal tinha Jesus. Eles invocarama Jesus e este trouxe de volta o vinho, a paz, a alegria o casamento. Não deixe Jesus de fora do seu casamento, se não quando faltar alegria não teráninguém para repô-la.

- Jesus deve estar em nosso casamento, porque precisamos de milagres.

Tem horas na vida á dois, que só um milagre para trazer solução, e essa situação é corriqueira, muitas vezes na vida, o casal só ficará junto, se acontecer um milagre, Jesus é esse feitor de milagres, é óbvio que seria reduzí-lo a coisa infíma, se dissessêmos que Jesus é só feitor de milagres, ele é muito mais que isso, porém também é feitor de milagres, e precisamos dele para as horas de impossibilidades humanas dentro do casamento...!

Diante disso, todos nós peçamos, para que Ele, o Senhor do universo, esteja conosco em nosso matrimônio, assim teremos sempre a garantia de uma nubência feliz, e poderemos pronunciar como o poeta:

"Quando do enlace afetivo dois espíritos se estreitam
E em regozijo se deleitam na comunhão dos sentimentos
Convergindo seus pensamentos em uma ditosa ventura
Seus seres transluzindo ternura a lhes acalentar os momentos
Enleados esses em alacridade silente
Medrando então a semente da felicidade superna
No solo fecundo da terna vivência em harmonia
Pois onde há sintonia lá há paz coeterna
Quando dois seres buscam a nubência
Nela impregnada a olência da mais cândida união
A lhes insuflar sensação da solitude alijada
Fazendo feliz toada o encanto, fundindo-os num só coração!""Nubentes" de Valdecir de Oliveira Anselmo 





Abraços!

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Declarações de um desesperado!!!

Queria tanto saber escrever. Na verdade queria saber ler, não apenas de forma técnica, científica, mas queria aprender a ler interpretando, não as palavras, pois palavras são apenas palavras, queria interpretar as idéias por trás das palavras, letras, contos e anedotas.
Receio que se aprender a ler, logo saberei escrever e escrevendo posso expor minhas dores, angústias e elucubrações infinitas.

Queria ser romancista como o foi Fernando Sabino, ser poeta como Carlos Drummond de Andrade, quem sabe ser escritor como Machado de Assis.

Esses indivíduos fizeram muito, que seria pouco se seus escritos e técnicas fossem esquecidos, mas que foi muito, porque não apenas expuseram suas paixões, medos e esperanças, mas sobre tudo iluminaram o futuro, dando mais que críticas, um caminho, caminho percorrido por vitoriosos.

Tenho sonhos, pensamentos e idéias, mas não sei como expor, daí meu desespero, porque pior que não ter o que dizer é ter o que dizer, mas não saber como.

Você já passou por isso? Ou será que sou um guerreiro solitário nesse deserto do saber? Será que esses nomes supracitados, já passaram por isso? Acredito que não, eles eram competentemente capazes. Talvez o máximo que tiveram foi dificuldade de concluir um texto, como denunciado por Érico Veríssimo, que disse: “... alguns autores são elogiados por suas prolixidades, não sabem seus leitores, que suas prolixidades, não são fruto de capacidade, mas de incapacidade de resumir seus textos”. Talvez resumir um texto tenha sido a dificuldade de algum deles, mas nunca de deixar de expor, o que pensavam e as idéias que tinham de uma forma que todos ás entende.

Se você é um desesperado como eu, não piore, continue lendo, vá escrevendo mesmo com dificuldades, com os anos vai aprender, que não são apenas nossas cãs que aparecem, nossos textos também.


Abraços!!!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Consciências Ministeriais

Hoje tenho vinte e seis anos, me converti aos quatorze, por isso faz doze anos que estou na igreja, aos dezesseis anos me batizei e de lá pra cá, estou no evangelho.

Comecei a pregar logo cedo, nos cultos com  jovens, nas casas, fazendo visitas aos domingos depois da EBD, nos cultos ao ar livre, no trem, sistemática e pontualmente ás seis e quinze da manhã, por longos e prazerosos quatro anos, me tornei professor da Escola Dominical, fui lider de mocidade, comecei a fazer o curso de teologia, daí então, pro ministério, cooperador, auxíliar de púlpito, diácono, dirigente de uma pequena igreja, evangelísta, pregador itinerante, como eu sofri nesta época, eu era muito inocente. E por fim, pastor.

Já está bom, não tenho pretensões maiores... bispo, arcebispo, apóstolo ou outros títulos que pela forma como são empregados, não tem valor e aniquilam o que de fato estas posições clericais, significaram ao longo da historia e nos primórdios do cristianismo...

Passei por ministérios pequenos e grandes, hoje estou muito feliz no lugar onde estou, como canta uma dupla de amigos: "Eu estou no lugar que gosto..."

Nesse interim, fiquei noivo, me casei e nos nasceram dois filhos, os filhos mais lindos do mundo, me faltariam expressões para descrevê-los.

Então, como você viu, sou apenas um menino, mas como diz o ditado popular: "menino que já correu o trecho", não todos, mas alguns.

Essas minhas andanças, trombadas, erros, acertos, vitórias, derrotas e empates, me fizeram conceber alguns pensamentos em relação ao ministério.

Elocubrações estas, que passo a expor, mas antes, deve ser dito que são meras citações empobrecidas e despretenciosas de um jovem pastor que tem muito chão pela frente, deve ser dito também, que não podem ser tratadas como doutrinas, apenas como valores norteadores no "ex officio" ministerial...

São eles:

1 - A Convocação ao ministério é derivada da conversão e não é verdadeira a recíproca.

2 - A Vocação Ministerial é Unilateral - De Deus pro homem, bondosa e graciosamente, na maioria das vezes, contrariando as estimativas e anseios populistas.

3 - Todos os Vocacionados de fato, relutam, lutam e nunca se sentem suficientementes preparados para o exercício.

4 - Os Comissionados enxergam seus pecados com maior profundidade e os sentem com maior dor que todos.

5 - O Exercício Ministérial só é possível, mediante e após descida do "Carisma" de Deus sobre o homem.

6 - È um homem do povo, para Deus e devolvido por Deus, para o povo, tem que dominar a teologia da koinônia, se não, não serve.

7 - Talvez ele não consiga perceber seu real quilate, mas ele é um "Homem Dom" - "Um Anjo" - "Um Embaixador de Cristo", alguns diriam que ele é um "Antídoto de Deus" para curar a terra enfermada.

8 - Ele vem afim de repartir algum dom... Paulo sabia disso: "... desejo muito ir ter convosco, afim de repartir entre vós algum dom".

9 - Ele sempre será menor que todos, um espetáculo rídiculo ao mundo, um teatro de horror aos que passam.

10 - Porém ele tem prerrogativas tais, que o mundo dele não é digno.

11 - Seu trabalho dever ser o menos desejado, amar os pobres, socorrer os pobres, alimentar os pobres, comer com os pobres e lhes anunciar o "kerigma de Deus", as "Boas Novas do Evengelho" a "Palavra Transformadora da Cruz".

12 - Sua glória está no serviço, seu prêmio está na felicidade, satisfação e bem estar dos outros.

13 - Deve saber que está acima de pessoas, mas está abaixo de pessoas, e abaixo de Cristo, abaixo da palavra, abaixo do Espírito, abaixo de Deus, ele está abaixo de tanta gente que nem se sente acima de ninguém.

14 - Sua Escola é Eterna, sabe mais que poderia e menos que deveria, e isso em todo tempo.

15 - Receberá Mistérios e revelações profundas, mas deve lavá-los ou lavá-las nas águas da palavra, deve submetê-los ou submetê-las ao "concordo" dos Apóstolos, dos Pais da Igreja dos Reformadores, seres que nunca podem ser negligênciados.

Esses são alguns pensamentos e valores ministeriais que tenho.

Os carrego comigo, pode ser que esqueci de algum, mas devo ser desculpado, já são quase uma da manhã, no próximo artigo continuo a falar sobre esse assunto...

Boa noite!

Escondidos na graça dAqule que tem nas palmas das mãos os confins da terra!!!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Reconhecimento de Culpa, Uma Ponte entre o Passado e o Futuro

O texto, publicado esta semana no site da CIP - Congregação Israelita Paulista, site que sempre vale a pena ser visitado, por aqueles que desejam conhecer a cultura judáica.Fala sobre o poder do reconhecimento de culpa e dos erros.

Quando fazemos isso, construímos pontes entre o nosso passado e o nosso futuro, lutamos contra o nosso Jaco interior, cheio de culpas, erros e traumas, lutamos também contra Deus, no sentido de pedirmos a Deus que nos aceite, mesmo sem mercermos.

Apartir disso, somos transformados, quando ficamos só e lutamos contra o homem interior, assumindo nossas culpas e temores, vencemos. Temos nosso nome transformado e nossa vida regenerada...

O texto é ótimo, vale a pena ser lido



"Pra lá deste quintal era uma noite que não tem mais fim. Pois você sumiu no mundo sem me avisar e agora eu era um louco a perguntar: o que é que a vida vai fazer de mim?"
(Chico Buarque)

Jacob finalmente deixa a casa de seu sogro Lavan para trás, mas ao por o pé na estrada é literalmente atingido por mensageiros de Deus. Já na estrada, agora é ele quem envia mensageiros até Esaú. Os mensageiros retornam e relatam: “Fomos até seu irmão. Ele também vem na sua direção – e vem muita gente com ele.” Ciente de que, sendo o filho caçula, trapaceou e tomou de Esaú os direitos de filho mais velho, mesmo após tantos anos sem se encontrarem, Jacob teme a vingança como certa e sente muito, muito medo. Não que Esaú tenha lhe feito algum mal ao longo destes anos. Nem os mensageiros de Jacob dão a entender, objetivamente, que o irmão vem ao seu encontro para atingi-lo, feri-lo, matá-lo. Por enquanto, Jacob só foi atingido mesmo por anjos de Deus. De que forma? Só ele e Deus sabem.

Contudo, certo de que o pior está por vir, Jacob rearranja todo o seu acampamento e o divide em dois. Ileso não escapará, isso é certeza. Tudo - assim parece acreditar - está nas mãos de Esaú, vingativo, sedento para devolver com juros pelo dano que ele Jacob, o queridinho da mamãe, o trapaceiro, lhe causou no passado.

Por que Jacob sente tanto medo? Outra forma de perguntar é: de que Jacob sente tanta culpa? Ele já havia sido atingido pelos mensageiros de Deus ao sair da casa do sogro. Teriam sido estes os mesmos mensageiros que ele próprio enviou até Esaú com mensagens de paz e amor para apaziguá-lo? E se nem anjos de Deus foram capazes de tamanha proeza? E se Esaú de verdade quiser mesmo é matá-lo e lhe arrancar a cabeça pelo pescoço com os próprios dentes?

Tenho a clara sensação de que Jacob projetava em Esaú as suas próprias culpas. Ele se sente a mais insignificante das criaturas, incapaz até mesmo, ao fazer suas preces, de dizer “Meu Deus”. Deus é o Deus de Abrahão e de Isaac, que foram dignos disso, mas não é o Deus dele, Jacob. “Eu diminuí”, diz. Ele se dá conta de que seus atos do passado não oferecem ameaça somente a si mesmo nem apenas ao seu patrimônio material, mas também à sua família, aos seus filhos, ao seu nome e ao de sua descendência no futuro. “Eu diminuí, dentre todas as bondades e dentre toda a verdade que Tu fizeste...” Jacob intui que falhou no aspecto legal, pois não fez o era justo; e no aspecto moral, ao não agir de acordo com o que se pode chamar de bondoso. Jacob, através dos próprios atos, excluiu a si mesmo de dois acampamentos: o da justiça e o da bondade. “Eu diminuí”.

Há conserto para nossas culpas? Há conserto para os erros do passado, mesmo aqueles cometidos em um passado distante? A resposta é difícil: nem sempre. Há aqueles que simplesmente deixam para lá, na esperança de que as lembranças sejam aos poucos apagadas pelo tempo. Há aqueles que, conscientes ou não, dirigem suas vidas por caminhos que, mais cedo ou mais tarde, os levarão ao encontro com pessoas a quem atingiram no passado – e tanto temem o encontro quanto o aguardam. E há aqueles que se dão conta de que há dois acampamentos nos quais o acerto de contas com o passado precisa ser travado; no mundo externo e no mundo interno - e partem para o enfrentamento.

Conta-nos o Midrash: “[Jacob] os fez cruzar o rio” (Gênesis 32:24) – ele fez de si mesmo uma ponte que pegava daqui e entregava ali.” [Bereshit Raba] No caminho em direção a Esaú, Jacob fez de si mesmo uma ponte entre seu passado e seu futuro; entre o reconhecimento da culpa diante de Deus e diante de seu irmão; entre o reconhecimento e o enfrentamento da culpa; entre os tempos de irresponsabilidade e os de assumir a responsabilidade por seus atos.


“O mundo inteiro é como uma ponte estreita: o principal é não ter medo” - dizia Rebe Nachman de Breslav.

Jacob tinha diante de si um rio caudaloso de muitos medos, mas fez de si mesmo uma ponte, cruzou o rio e enfrentou seus medos. Ele saiu ferido, é verdade. Mas foi assim que Jacob tornou-se Israel: aquele que enfrentou [seus medos diante de] Deus e [diante dos] outros seres humanos – e os venceu.

Shabat shalom, de Jerusalém
Uri Lam



Espero que tenham apreciado o texto... Boa noite!

Ministério

"Porque muito desejo ver-vos, a fim de repartir convosco algum dom espiritual, para que sejais confirmados." - Paulo de Tarso

Neste dias tenho sido trabalhado por Deus, tivemos em nossa igreja, mais uma EBI - Escola Bíblica Intensiva - temos tido a oportunidade de sermos brindados com eloquentes reflexões biblicas-teológicas, feitas pelos pastores que estiveram conosco: 

Pastor Dyonísio Inácio Rocha, que diz não ter a formação teológica acadêmica, mas, que como os verdadeiros pais da teologia nos séculos passados, tem capacidades indescritíveis de abordagem dos textos sagrados. 

Também, Reverendo Paulo Cesar Lima, um teólogo liberal não adimitido, mas evidênciado em cada uma das suas exposições, que diga-se de passagem, carregam em seu bojo polêmicas e quebras de paradigmas.

Ainda, pastor em Belém do Pará, Jedilson, ele faz sem esboço, aquilo que muitos tentam fazer sem sucesso com o esboço, pastor Jedilson é muito bom, é sem dúvida uma das grandes lideranças evangelicas no Brasil.

Outro que esteve por aqui, foi o ilustre Pastor Gelson Brown, que falou conosco o que Deus lhe comunicará de uma forma intimanente própria.

Por fim, Pastor Joá Caitano, que se deixou instrumentalizar, afim de que Deus nos abrisse o coração e se derrama-se sobre nós.

Todos estes dias fomos visitados e estivemos recebendo dons de Deus, comunicados a nós por seus servos, foi isso que Paulo, o apóstolo, disse a igreja em Roma, queria ter com os irmãos, para lhes repartir um dom, dom este que se inicia no amor, mas deságua em muitos outros frutos...

Agora, mais precioso que recepcionarmos o dom recebido em nós é conseguir derramar o que bebemos em outros no escopo de fazermos discípulos, discípulos que também tenham gerado em si o desejo de serem transformados a Imagem de Cristo, o Filho do Altíssimo.

Deus, nos ajude a corrompermos com a regra e dividirmos o pão... Coloque os famintos em nosso caminho, pois se não, todo o alimento que temos recebido não gerará frutos externos... Cientes que és poderoso para nos propíciar oportunidades te somos gratos.
Graças, muitas graças Senhor...
Graças a Ti!!!


Para pensar

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Fim de semana

Boa noite, são exatamente uma e trinta e cinco da manhã, estou acordado até essa hora porque estava estudando para prova de Direito Penal que tenho amanhã na faculdade, período de prova as coisas, todas, tornan-se mais dificeis, porém superáveis.

Estou ainda me recuperando do fim de semana estrondoso que tive, na sexta feira, fui ao culto em minha paróquia(alguns á chamam de catedral, mas essa idéia me incomoda, catedrais são impessoais e morrem espiritualmente cedo) ouvi um belo sermão pregado pelo pastor, brasileiro, que esta nos EUA, Gelson Brown, onde ele falou sobre José que aprendeu a lidar com a benção de Deus, diga-se de passagem uma ótima reflexão, após fui á casa do nobre e ignoto pastor Afonso e a irmã Cicleia, que sempre nos recebem carinhasamente e de mesa farta.

Sábado, pela manhã, foi reinterada em mim a consciência do que significa a expressão: "...Há amigos mais chegados que irmãos", precisava ir ao Rio, porém, meu voo foi transferido de Congonhas para Cumbica, este muito mais longe e de difícil acesso, por meios coletivos de transportes, apelei para algumas pessoas, afim de que me levassem ao aéroporto, sem sucesso, foi quando liguei pra um amigo, amigo este que aprendi a amar e respeitar mais ainda depois do que fez por mim, ele me atendeu, pensei que me cobraria "o olho da cara", (expressão em extinção), mas foi extremamente probo na proposta, ainda pondo do seu bolso o estacionamento, Paulo Pereira é seu nome, obrigado Paulo...

Já no Rio, fui a Niterói, conheci a tal baía de Guanabara, gostei muito, fiquei em Icaraí, Niteróide frente pra praia, (muito bom aiiiiii - expressão carioca).

A igreja que visitei fica localizada em São Gonçalo, a segunda maior cidade do Rio,Assembleia de Deus de Porto da Madama.

Pastoriada por um dos caras mais simpaticos e simples que já conheci, Arlington, que é filho do nobre pastor Eude Martins e tem uma família linda...

A igreja está em obras, mas apesar dos transtornos, o povo estava em fervente adoração, congresso dos jovens...

Tudo foi ótimo,graças a Deus

Agora preciso dormir, amanhã nos falamos

Abraços!!!!!!!!!!!

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Para descontrair

Antes de sair de viagem, este fim de semana estarei num encontro de casais em Águas de Lindóia, dei uma passadinha no meu sogro a fim de ver meus emails, recebi este e resolvi postra, vê se você també dá muita risada...


Salário Errado

Um funcionário vai até o chefe do departamento pessoal da empresa, para reclamar que vieram 500 reais a menos no seu salário.

O chefe do departamento, fala em tom solene:

— Luís, o mês passado nós lhe pagamos 500 reais a mais e você ficou quietinho. Agora que a gente está lhe pagando 500 a menos para compensar o erro, você vem e reclama?

— É que um erro eu deixo passar, mas dois já é demais!

Abraços!!!!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Como contratar um funcionário

O método consiste em:

1-Colocar todos os candidatos num galpão

2-Disponibilizar 200 tijolos para cada um.

3-Não dê orientação alguma sobre o que fazer.

4-Tranque-os lá.


*Após seis horas, volte e verifique o que fizeram.*

Segue a análise dos resultados:

1 - Os que contaram os tijolos contratem como contadores.

2 - Os que contaram e em seguida recontaram os tijolos, são auditores.

3 - Os que espalharam os tijolos são engenheiros.

4 - Os que tiverem arrumado os tijolos de maneira muito estranha, difícil
de entender, coloque-os no Planejamento, Projeto e Implantação Controle de Produção.

5 - Os que estiverem jogando tijolos uns nos outros, coloque-os em Operações.

6 - Os que estiverem dormindo, coloque-os na Segurança.

7 - Aqueles que picaram os tijolos em pedacinhos e estiverem tentando
montá-los novamente, devem ir direto à Tecnologia da Informação.

8 - Os que estiverem sentados sem fazer nada ou batendo papo-furado, são dos Recursos Humanos.

9 - Os que disserem que fizeram de tudo para diminuir o estoque mas a
concorrência está desleal e será preciso pensar em maiores facilidades,
são vendedores natos.

10 - Os que já tiverem saído, são gerentes.

11 - Os que estiverem olhando pela janela com o olhar perdido no infinito,
são os responsáveis pelo Planejamento Estratégico.

12 - Os que estiverem conversando entre si com as mãos no bolso demonstrando
que nem sequer tocaram nos tijolos e jamais fariam isso, cumprimente- os com
muito respeito e coloque-os na Diretoria.

13 - Os que levantaram um muro e se esconderam atrás são do Departamento de Marketing.

14 - Os que afirmarem não estar vendo tijolo algum na sala, são advogados, encaminhem ao Departamento Jurídico.

15 - Os que reclamarem que os tijolos 'estão uma porcaria, sem identificação, sem padronização e com medidas erradas', coloque na: Qualidade.

16 - Os que começarem a chamar os demais de 'companheiros' , elimine-os imediatamente antes que criem um sindicato.

Atenciosamente,
Psicólogo Chefe

Recebi do Luis Eurípedes

Abraços!!!

Perguntas difíceis de responder!!!

*Como se escreve zero em algarismos romanos???

* Por que os Flintstones comemoravam o Natal se eles viviam numa época antes de Cristo??

* Por que os filmes de batalha espaciais tem explosões tão
barulhentas, se o som não se propaga no vácuo???

* Se depois do banho estamos limpos porque lavamos a toalha???

* Como é que a gente sabe que a carne de chester é de chester
se nunca ninguém viu um chester??? (vc já viu um chester? )

* Por que quando aparece no computador a frase 'Teclado Não Instalado', o fabricante pede p/ apertar qualquer tecla???

* Se os homens são todos iguais, por que as mulheres escolhem
tanto???

* Por que a palavra 'Grande' é menor do que a palavra
Pequeno'???

* Por que 'Separado' se escreve tudo junto e 'Tudo junto' se
escreve separado???

* Se o vinho é líquido, como pode existir vinho seco???

* Por que as luas dos outros planetas tem nome, mas a nossa é
chamada só de lua???

* Por que quando a gente liga p/ um número errado nunca dá ocupado???

* Por que as pessoas apertam o controle remoto com mais
força, quando a pilha está fraca???

* O instituto que emite os certificados de qualidade ISO 9002,
tem qualidade certificada por quem???

* Quando inventaram o relógio, como sabiam que horas eram, para poder acertá-lo???

* Se a ciência consegue desvendar até os mistérios do DNA, porque ninguém descobriu ainda a fórmula da Coca-Cola???

*Como foi que a placa 'É Proibido Pisar na Grama' foi colocada lá???

* Por que quando alguém nos pede que ajudemos a procurar um
objeto perdido, temos a mania de perguntar: 'Onde foi que você perdeu?'

* Por que tem gente que acorda os outros para perguntar se estavam dormindo???

* Se o Pato Donald não usa calças, por que ele amarra uma toalha na cintura quando sai do banho???



Rsrsrsrsrsr - heheheheheh - kkkkkkk

Dá pra rir!?!

O Chefe compreensivel

De: chefe

Para: todos

COMUNICADO A TODOS OS FUNCIONÁRIOS COM RELAÇÃO ÀS FALTAS.

DOENÇA:

Estar doente não é desculpa para não vir trabalhar. Nem um atestado médico é uma garantia de estar doente, pois se estava em condições de visitar um médico também poderia ter vindo trabalhar.


MORTE NA FAMÍLIA:

Não tem desculpa, não visitou quando estava vivo, depois de morto não pode fazer mais nada, e os preparativos para o enterro podem ser feitos por outra pessoa. Mas a empresa deixa-o, de boa vontade, sair meia hora mais cedo, isso se você for compensar no outro dia.


BODAS DE PRATA/OURO:

Para uma festa deste tipo não damos dias livres. Se estiver casado há 25 ou 50 anos com a mesma pessoa fique feliz em ter condições de vir trabalhar.


NASCIMENTO DE UM FILHO:

Por um erro deste tamanho não damos dias livres aos nossos funcionários, o erro foi seu! E além disso você já teve o seu divertimento (que espero que tenha sido fora do horário de trabalho).


ANIVERSÁRIO:

O fato de você ter nascido não quer dizer que tenha merecido, e isso mostra o quanto está ficando velho, por isso não é um dia para ser comemorado.


CIRURGIAS:

Cirurgias em nossos funcionários são proibidas! Nós os contratamos como eles eram. A tiragem ou substituição de órgãos é contra o contrato de trabalho.


em caso de MORTE PRÓPRIA:

Aqui pode contar com a nossa compreensão, se:

-Informar duas semanas antes do acontecimento, para arranjarmos outra pessoa que faça o seu trabalho;

-Enviar um atestado com a SUA assinatura para termos certeza que foi você quem morreu, caso contrário serão descontados dias de férias;

-Telefonar até 8 horas após a morte, para avisar a empresa.


Grato, e um ótimo dia de trabalho,

agora pode voltar a trabalhar porque já perdeu 3 minutos lendo este e-mail!


Ria...

Recomece Sempre

Observe a natureza.

Tudo nela é recomeço.

No lugar da poda surgem os brotos novos.

Com a água, a planta viceja novamente (renasce).

Nada pára.

A própria terra se veste diferentemente todas as manhãs.

Isso acontece também conosco.

A ferida cicatriza.

A dores desaparecem.

A doença é vencida pela saúde.

A calma vem após o nervosismo.

O descanso restitui as forças.
Recomece.
Anime-se.

Se preciso, faça tudo novamente.
Assim, é a VIDA!

(Autor desconhecido)

terça-feira, 21 de setembro de 2010

"Eu não vou perder"

Eu não vou perder aquele primeiro encontro,
onde o frio na barriga me entusiasmava, de encontro ao teu ser ansioso eu caminhava.

O livro da vida sentimental se define nos primeiros capítulos, e você faz
parte dessa história de amor, cuja qual não abro mão dessa poesia sedutora.

Eu não vou perder o sabor daquele beijo roubado, de lábios calientes e um
corpo empolgado, não, ainda posso sentir aquelas picantes sensações.

Que nunca nos falte sensibilidade para entender e agradecer o quanto é
importante termos um ao outro, hoje você me completa, faz parte de mim.

Eu não vou perder a tensão da primeira vez, mas hei de concordar que na
segunda vez foi bem melhor, mas agora somos quase que especialistas.

A beleza é apenas um cartão de visita, mas o seu charme e o seu corpo
sedutor me impulsiona a mergulhar cada vez mais no desejo infinito.

Eu não vou perder a construção do castelo de amor, hoje sou parte de uma
família, o meu lar é o meu abrigo, e o conforto do seu colo é meu convívio.

Decisões decidem destinos, ao seu lado tive o meu melhor passado, sigo construindo o melhor futuro e o vivo o presente com a plena certeza de um final feliz...

Porque eu te amo muito, meu amor...



Poema de Fabiano Carneiro

domingo, 18 de abril de 2010

O BÊBADO, O PADRE E A ARTRITE

Num ônibus, um padre senta-se ao lado de um bêbado que, com dificuldade, lê o jornal.

De repente, com a voz 'empastada', o bêbado pergunta ao padre:

- O senhor sabe o que é artrite?

O pároco logo pensa em aproveitar a oportunidade para passar um sermão no bêbado e responde:

- É uma doença provocada pela vida pecaminosa e sem regras: excesso de consumo de álcool, certamente mulheres perdidas, promiscuidade, sexo, farras e outras coisas que nem ouso dizer...

O bêbado arregalou os olhos, calou-se e continuou lendo o jornal.
Pouco depois o padre, achando que tinha sido muito duro com o bêbado, tenta amenizar:

- Há quanto tempo o senhor está com artrite?

- Eu?... Eu não tenho artrite!... Diz o jornal que quem tem é o Papa!

Arquivo do blog

Bate-Papo Pastoral

Minha foto
Cristão, pastor, pai, filho, esposo, amante e amado.

Seguidores